5 dicas para sair do aluguel e comprar a casa própria

Fique por dentro do nosso conteúdo e receba tudo o que você precisa saber sobre loteamentos, desde investimento a construção

O sonho de muitas famílias brasileiras é sair do aluguel e comprar a casa própria. Para isso, é preciso ter organização financeira e buscar bons negócios, para não ter prejuízos que podem prejudicar todos os planos.

É comum ficar perdido nessa hora, sem saber como começar a se organizar. Quais imóveis procurar na região, seus valores justos e opções de pagamento também são dúvidas recorrentes para muitos compradores.

Pensando nisso, preparamos este post com 5 dicas para ajudar você e sua família nessa hora tão importante. Assim, sua negociação terá muito mais segurança e tranquilidade. Confira!

1. Criar um controle de gastos para economizar

A primeira dica para sair do aluguel e comprar a casa própria é se organizar para controlar os gastos. Dessa forma, é possível economizar o dinheiro que será investido no imóvel. Isso deve ser feito com antecedência e de forma detalhista.

Procure planilhas de gastos mensais na internet ou faça você mesmo a sua, adequando às necessidades e às despesas da família. Coloque tudo no papel e veja em quais pontos é possível gastar menos, principalmente naqueles itens que não são essenciais.

Tudo isso deve estar identificado para você saber o mínimo que deve gastar mensalmente. Primeiro, organize seus gastos fixos. Entre eles:

  • aluguel;
  • transporte;
  • escola dos filhos;
  • salário da empregada;
  • condomínio;
  • internet etc.

Depois, analise os gastos variáveis. É aqui que você pode definir como economizar, por isso, tente identificar o que não é fundamental ou o que está tomando muito do seu orçamento. São exemplos:

  • água;
  • luz;
  • telefone;
  • compras no mercado;
  • alimentação diária.

Depois disso, crie um controle e tente fazer uma poupança para depositar um valor mensal — essa reserva será usada para o pagamento da sua casa própria. Isso ajuda tanto as pessoas que buscam uma compra à vista, como as que financiarão o imóvel.

2. Pesquisar opções e possibilidades de compra

Depois de ajustar o seu orçamento e planejar as finanças, é hora de buscar as opções de imóveis na sua cidade. Separe os locais que são viáveis para você morar e liste todas as restrições, como:

  • empreendimentos muito distantes do trabalho;
  • locais com fama de violentos;
  • bairros com pouca estrutura — sem instalações de água, energia elétrica, saneamento ou asfalto, por exemplo.

Tente separar as opções em que você deseja adquirir um imóvel e que não frustrarão a sua rotina. Assim, você evita uma compra por impulso em um local que não será viável para a moradia, ainda que o valor seja bom.

Pesquise também o preço de mercado por bairro. Isso é importante para que você não pague muito caro em um imóvel que está acima do valor real, o que pode acabar prejudicando o seu orçamento e economias.

Analisando frequentemente as opções de compra em cada bairro, você começará a entender o preço médio de cada local e saberá definir com mais tranquilidade e segurança se um imóvel está caro ou barato demais.

Não esqueça de contar com empresas especializadas no assunto, com conhecimento para fazer avaliações e filtrar as alternativas mais adequadas para você e sua família. Imóveis na planta também são uma ótima opção para gastar menos e ter um bom retorno.

3. Definir possibilidades de pagamento

Para sair do aluguel e comprar a casa própria, é importante se planejar para definir quais são as suas possibilidades de pagamento. Defina um valor máximo e também quais são as condições ideais: à vista, financiamento com bancos ou com construtoras.

Veja qual é sua margem financeira para desembolsar por mês no acerto das parcelas — isso também ajuda a filtrar as opções de imóveis disponíveis na sua cidade. Confira, com construtoras, quais são as condições de pagamento para empreendimentos na planta e as taxas cobradas.

Se você optar por um pagamento à vista, deve se planejar para juntar o dinheiro com antecedência e sempre ter uma reserva para eventuais emergências, como reformas e manutenção do imóvel. Essa opção de compra também possibilita uma margem maior de desconto.

Depois de escolhido o sistema de compra, você precisa analisar as melhores oportunidades. Por exemplo: financiamentos pelo Minha Casa Minha Vida podem trazer diversas vantagens em relação às parcelas, mas também há alguns empecilhos, como o valor máximo do imóvel.

Já o financiamento com uma construtora pode ter condições mais favoráveis e um prazo para pagamento que se encaixa no seu planejamento. Porém, é importante escolher uma empresa de confiança para não ter prejuízos com o descumprimento de prazos, por exemplo.

4. Avaliar programas de incentivo

É comum que o governo disponibilize alguns programas de incentivo para quem quer sair do aluguel e comprar a casa própria. Existem várias modalidades e a melhor forma de conhecê-las é conversar com uma empresa que trabalhe nessa área.

Uma dessas possibilidades é o programa Minha Casa Minha Vida, em que o comprador recebe subsídios governamentais para facilitar o pagamento, principalmente nas faixas com rendas familiares mais baixas.

Também é possível procurar financiamentos habitacionais e imóveis que permitam a utilização do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para abatimento nas parcelas ou, ainda, para o pagamento do valor da entrada do imóvel.

Podem haver outros benefícios na sua cidade, como a organização de leilões de imóveis. Por isso, é interessante buscar informações junto à Prefeitura. Pesquise bem e veja se você se encaixa em algum desses programas que facilitam o pagamento.

5. Manter os pagamentos em dia

A última dica para quem quer sair do aluguel e comprar a casa própria é manter os seus pagamentos em dia. Isso independentemente da forma que você escolher para quitar o seu imóvel, seja financiando em uma instituição financeira, seja parcelando com a construtora ou mesmo negociando com o proprietário.

A falta ou atraso nos pagamentos pode acarretar várias consequências negativas que podem frustrar o seu sonho. Você não quer lidar com multas, juros e até mesmo a perda do imóvel — dependendo das cláusulas contratuais —, não é?

O pagamento atrasado de parcelas pode virar uma bola de neve. A dívida facilmente se torna muito alta e acaba prejudicando suas economias. Nesses casos, os compradores costumam optar por um empréstimo, o que compromete ainda mais o planejamento financeiro.

Portanto, se você quer sair do aluguel e comprar a casa própria, não esqueça de contar com uma empresa especializada no assunto. Ter uma equipe de profissionais preparados é garantia de um bom valor, pagamentos facilitados e todo o suporte nessa hora tão especial!

Se você ficou interessado no assunto e quer saber mais sobre nossos imóveis e empreendimentos, entre em contato conosco. Estamos preparados para tirar todas as suas dúvidas!

Como escolher o seu lote?

Como escolher o seu lote?

baixe agora

Equipe IMG

materiais

Baixe agora os materiais educativos da IMG
Fique por dentro do nosso conteúdo e receba tudo o que você precisa saber sobre loteamentos, desde investimento a construção